Pular para o conteúdo

Estudar em Berlin : larga a agência de intercâmbio e aprende aqui.

setembro 22, 2010

Berlin…ai berlin. Nunca me peça “algumas diquinhas” sobre a cidade, que eu te mando um guia turistico inteiro.

Mas então, já fui para a cidade 3 vezes, duas a passeio e uma para estudar. Não vou fazer bem um guia, e sim um relatóriozinho de tudo que eu fiz. Tudo que deu errado e tudo que deu certo.

1) Passagem.

Como eu já disse. Esquece a agência de intercâmbio. Só se você é muito inutil, preguiçoso e não quer ter uma viagem legal de verdade.

Esquece essa história de escolher a “melhor companhia aérea”. Quer dizer, se você puder gastar mais ou realmente não gosta de uma companhia tudo bem, mas eu não acredito muito nessa história. Eu já tive ótimas viagens em companhias aéreas que falam mal, e já tive muitos problemas com companhias aéreas boas. Na maioria das vezes eu vou de TAM porque tenho milhas, eles costumam ser um pouco mais caros. Por frescuras no avião e porque a equipe inteira fala português. O que, confesso, me deixava um pouco triste. No último dia, quando você tá chorando porque NÃO QUER voltar pra casa e seu último contato com o país é o aeroporto, uma pessoa te recebendo com um “BOM DIA SENHORA, QUAL O DESTINO?” só me faz entrar em depressão.

Mas aí meus coleguinhas, tem uma excessão à regra de fugir das agências : as vezes as agências conseguem tarifas mais baratas para os vôos. Ligue para essas agências de turismos menores e peça para eles orçarem para você. Sem medo, você não é obrigada a comprar depois, elas estão acostumadas com isso.  Também fique de olho na baixa/alta temporada. As vezes, por um diazinho o preço da passagem sobe horrores.

2.) Onde ficar?

Depende de quanto tempo você vai ficar na cidade. Se for até uns 15 dias, vale a pena ficar em um hostel. Se for mais, compensa alugar um apartamento. Vou contar o meu caso, com detalhes um pouco sórdidos para menores de 18 anos.

Eu fui sozinha, reservei um quarto no The Circus (que eu recomendo pra todo mundo que vai pra lá) e planejava procurar um apartamento pelo WG Gesucht. Se você vai estudar lá, é provavel que você saibe um pouquinho de alemão, mas se não sabe não tem muito problema o site inteiro é traduzido para o inglês. Mas nem todos os posts de apartamentos são…

ah, assim que chegar lá, já compra um chip de celular local, ou um celular novo mesmo. Tem celular até por 15 euros.

Ok, cheguei lá, já mandei mil e-mails para os quartos que pareciam ser bem localizados e também deixei um post falando que eu tava procurando. Aí vem a parte meio traumatizante: me ligou um cara que não falava inglês. Como queria treinar um pouco o meu alemão, só pedi pra ele falar devagar. Ele fez várias perguntas básicas, do tipo se eu vim estudar e etc, e perguntou se eu tinha amigos por aqui. Eu disse que sim, que tinha vários amigos ( o que era mentira, não sei porque eu falei isso haha ) SÓ QUE, a palavra “freunde” em alemão significa amigo, mas também significa namorado. Bom, eu basicamente falei pro alemão desconhecido que eu era uma biscate, sem querer. A partir daí eu vi que a conversa tava ficando estranha, ele mudou o tom de voz, e veio me perguntar se eu era VIRGEM e se eu JA TINHA FEITO BLOW JOBS ( não me perguntem porque eu não desliguei nessa hora, tava meio em choque), eu disse que essas perguntas não eram relevantes pra alugar o apto e ele disse que precisava CONHECER BEM quem ia morar lá. Bom, nessa hora eu desliguei.

Moral da história: se você colocar um anuncio em um site de aluguel de apto, e ainda falar que você é brasileira, situações desse tipo vão acontecer.

eles amam decorar o apartamento com coisinhas bizarras.

Dei sorte de encontrar uma brasileira no meu quarto, contei pra ela a história, e ela também tinha marcado uma visita à um apartamento pelo wg gesucht. Depois que eu contei ela morreu de medo, e pediu para eu ir visitar o apto que ela ia ficar junto com ela. Deu que o apartamento era uma graça, os moradores uns amores e eu acabei alugando o quarto de um outro cara lá, que também tava saindo do apto. Quando você aluga um apto, normalmente você precisa deixa deixar um cheque calção de 2 meses logo na entrada. Vai lá, visita o apartamento, pergunta da vida da pessoa…

Moral da história: shit happens. existem pessoas do bem e tarados no mundo inteiro, é só tomar cuidado. Na verdade, a minha história é a única ruim que eu conheço do site…

Por que não ficar no alojamento da escola? Mil motivos:

1) a escola nem sempre tem um.

2) você não convive com ninguém

3) porra, você não gosta de escolher o lugar que você vai “morar” ?

4) normalmente o preço é absurdo, para um quarto minúsculo e eles são cheios de regras chatas com horários e etc.

3.) Onde estudar?

Existem diversas escolas de alemão boas por lá. O Goethe é realmente o melhor, mas é absurdamente caro. Existem outras escolas muito boas também.

Nas primeiras duas semanas eu estudei na GLS Sprachenschule (sem piadinhas, gls = german language school) que é ótima. O campus é super bonitinho, eles tem várias atividades e passeios no fim de semana. Fiz amigos, fui pra dresden, aproveitei, mas… quando a minha amiga brasileira me falou o preço que ela tava pagando pelo curso dela, caí pra trás. Era metade do que eu tava pagando, com a mesma carga horária e ela disse que o professor dela era ótimo.

Bom, fui lá fazer uma aula experimental. Era na BSI, eles tem várias escolas na alemanha inteira. Não tinha “campus”, não tinha lanchonete e as classes não eram bonitinhas, mas amei as aulas e resolvi mudar pra lá. No fim, achei que evoluí bem mais lá do que na GLS. Tipo pra provar que as vezes o que você paga é a infra estrutura do lugar, e não o ensino. O material deles é bem bom também, uso pra estudar até hoje (HAHAHA super mentira, mas deveria usar).

Mas assim, precisa estudar, senão você não evolui nada.

4.) outras viagens

Se você vai ficar um tempão por lá, precisa aproveitar pra ir para outros lugares. Potsdam por exemplo é 30 minutos de lá. Um dia eu peguei o trem errado e tive que descer na última estação, era Potsdam. Foi um dos lugares mais mágicos da minha vida.

Potsdam

Viajar para outros países também vale. Fica de olho nas passagens promocionais da Easy Jet e da Ryanair ( ou digita cheap flights berlin no google que aparecem outras mil companhias aéreas). Viajar de trem é uma delicia. Nem sempre é a opção mais barata, mas acho o jeito mais gostoso de viajar, principalmente porque não tem trem por aqui né?

Uma outra coisa que pode parecer assustadora não tem por aqui mas é super comum lá é o sistema de caronas. Chama Mitfahrgelegenheit e é simples. Você coloca no site para onde você vai e o horário, e aparece uma lista de pessoas que também vão para lá e precisam de gente para dividir a gasolina. Vai todo tipo de gente, velhinhos, estudantes e dificilmente as pessoas tem experiências ruins. Todo mundo respeita.

Mas é claro que eu sou zicada e passei um medinho. Queria ir para Hamburg em um fim de semana que ia ter show do The Cure. Uma alemã me indicou o mitfahr e eu fui, morrendo de medo. Cheguei no ponto de encontro e quem ia dirigir era uma mulher super fofa, lá pelos seus 30 e poucos ainda e eu dividi o banco de trás com um executivo e uma velhinha que estava indo visitar a família. A viagem foi mais tranquila impossivel, mesmo com os carros dirigindo à 180 por hora na Autobahn. Cheguei lá, fiquei na casa de uma amiga que eu conheci quando eu fiz intercambio pros EUA em 2004 e fui para o show. Do show, eu ia voltar direto pra Berlin, tinha arranjado uma carona que também ia para o show. Como a ida foi tão boa, nem tive medo da volta. Até que o motorista me manda uma mensagem ” quando terminar o show me encontra na porta principal, tô com uma blusa preta e uma GARRAFA DE WHISKY NA MÃO”. Veja bem, não sei se eu sou muito careta, mas na minha IMAGINAÇÃO uma garrafa de whisky e uma estrada SEM LIMITE DE VELOCIDADE não combinam muito bem. A partir daí já sabia que ia dar errado. Encontrei o cara e ele era uma miniatura do Roberth Smith, totalmente bêbado. Resolvi que ia acompanhar ele até o carro pensando em uma desculpa pra não ir embora com ele. Cheguei no “carro”. Era um van com a porta meio quebrada, sem os bancos de trás. Peguei meu celular, fingi que uma amiga minha que também tava na cidade indo pra berlin me ligou e precisava de alguém pra dividir a gasolina com ela e eu TINHA QUE IR. Pedi desculpas e fui embora.

hê.

O show era em uma arena meio afastada da cidade (algo como guarulhos aqui) e já eram 2am. Minha amiga tinha ido viajar, não conhecia mais ninguém, tava fudida. Bom, chorei, achei que eu ia morrer estuprada na estrada mas consegui pegar um ônibus para o metrô (que lá funciona 24 hrs de fim de semana, fica a dica brasil) e de lá fui para a estação de trem. Consegui comprar uma passagem de volta pra Berlin para as 8am por um preço meio absurdo. Tava -13 graus, a estação era aberta e a única coisa funcionando era um mcdonalds que tinha uma mistura de várias pessoas perdidas com malões como eu e vários bebados pós balada. Ah, e não dava pra encostar na mesa e dormir que o funcionário ia lá te acordar. Anyway, eu só tava pensando que eu fui no show do The Cure e não podia reclamar.

Moral da história: shit happens. Com você isso provavelmente não vai acontecer, eu que sou todacagada.

5.) outras coisinhas

Aproveite a cidade. Vá em todas as baladas, vá fazer compas nos brechós da Kastanienalle, não falte em muitas aulas. Só em algumas.

pra saber mais coisinhas sobre a cidade, tem dois posts aqui e aqui.

Se faltou alguma coisa, comentem que eu acrescento, fico meio perdida na hora de colocar tudo em ordem.

UPDATE: esse é o teste pra saber se você vai querer viajar mesmo DEBAS STYLE. No “vídeo” sou eu, indo pro aeroporto, vestindo tudo que não coube nas TRES MALAS. Vira a cabecinha aí.

Anúncios
15 Comentários leave one →
  1. setembro 22, 2010 20:09

    caraca bee, muito bom esse post. vai ajudar gente pra caramba, até eu não ficaria completamente perdida em berlin (brinks, não sei falar porra nenhuma de alemão e só o nome do site de pegar caronas quase me fez mijar nas calças).
    fora que a moral das suas histórias sempre ser SHIT HAPPENS meio que me lembra porque nós somos tão amigas.

  2. Coh permalink
    setembro 23, 2010 00:38

    fico feliz de ter participado de uma das três vezes e gente, pode seguir as dicas passo a passo porque ela manja muito mesmo de achar os BECOS que nunca ninguém acha hahaha love it.

  3. setembro 26, 2010 22:28

    A culpa da minha vontade de querer ir pra Berlim antes de qualquer outro lugar da Europa é toda sua! E já não é de agora…
    Mas eu não vou estudar, sou preguiçosa e só quero ir pra conhecer/relaxar hahaha
    De qualquer forma, adorei as dicas ;*

  4. setembro 30, 2010 14:17

    Que delícia, passar um tempo em Berlim! Meu marido estuda no Goethe e morre de amores pela Alemanha, quem sabe um dia eu não aproveite essas dicas e vá morar por lá?

  5. dezembro 14, 2010 17:45

    Que máximo poder passar um tempo assim em Berlin, a cidade deve ser maravilhosa.
    Eu sou bem apegada as minha família aqui no Brasil, mas tenho muita vontade de ir numa agência de intercâmbio para fazer um curso no país e se um dia eu for, claro vou aproveitar essas suas dicas para a minha hora de lazer =)

    Adoro o seu blog, beijos

  6. Vinicius permalink
    fevereiro 16, 2011 19:25

    Muito obrigado pelo post!
    Estive com algumas dúvidas sobre a BSI, primeiro por ser muito barato e segundo por ter visto no orkut um cara se esforçando muito para falar mal da escola. Realmente lá é de boa? Eu vou pra Berlin em DEZ 2011 ou JAN 2012 (alguns meses pra frente) então estou querendo definir a escola! Acha que vale eu me matar e ficar 2 meses no Goethe ou 2 meses na BSI já resolvem?
    PS: vou chegar lá com o A1, somente.

    Muito obrigado denovo! Tá me ajudando mesmo!!

  7. juliana permalink
    fevereiro 21, 2011 18:38

    Olá…eu tb sou uma fanatica por Berlin,já fui 5 vezes,e agora que ir para estudar.Detalhe,falo muitoooo mal Inglês,e não sei nada de Alemão.
    Irá eu e meu namorado,marido,queriamos alugar uma partamento por temporada,conheceu alguém,que de preferencia fale português,portunhol,rs,que faça este tipo de locação??
    Amei seu resumo,amo São paulo,mas cada rua que ando gostaria que fosse lá…

    Se puder ajudar agradeço..

    Beijos

    Ju

  8. Marconde Elmons permalink
    janeiro 29, 2012 23:43

    Queria preços … quanto vc gastou ??? Alimentação, ape, escola, transporte, baladas …

    Desculpa as exigências … hehehhe…

    Marconde Elmons

  9. glenda permalink
    março 6, 2012 12:32

    Ola, eu adorei seu post, estou querendo ir pra estudar alemao em Berlim agora comeco de Abril 2012, nao quero pagar agencia porque o custo eh muito maior pelas minhas contas, ja vi passagens, quero estudar na BSI mesmo e ja vi onde fazer seguro de saude. Agora so to com um pequeno probleminha, o visto, pode me ajudar?Estou tentando saber direito quais os documentos necessarios porque o site da embaixada eh bem confuso. Agradeceria muito se souber de alguma informacao.

  10. Lucas Amado permalink
    março 28, 2012 15:06

    Olá, muito bom seu post!Também gosto muito de Berlim. Estou pensando em fazer um intercambio para lá, de 6 meses. Um grande dúvida que tenho é, quando viajar, em agosto de 2012 ou deixar para ir em janeiro ou fevereiro de 2013. Gostaria de saber se você teria alguma dica para me dar, quais meses são melhores para aproveitar a Alemanha, ou até que seja melhor para adaptação. Muito obrigado, qualquer dica já é útil.

  11. novembro 21, 2012 20:47

    Estou me preparando para ficar 2 ou 3 meses na Alemanha em 2013 (se o mundo não acabar em dez/2012…rsrs). Penso em ficar lá entre Jun/Ago ou Jun/Jul. Não sei ainda. Meu objetivo principal é estudar o idioma alemão (uma vez que não sei nadinha de nada mesmo) e conhecer, passear, vivenciar a experiência de morar lá por algum tempo (ainda que 2 meses seja pouco).
    Porém, estou com dúvidas com relação ao custo de vida lá. Tipo: para ter um padrão de vida de R$ 2.000,00 eu teria que gastar quantos euros? Vou por conta própria e quero planejar e saber quanto irei gastar pra me manter lá pelo período de 2 meses……
    Outro interesse é aproveitar o tempo pra visitar umas universidades e saber como que funcionaria um mestrado/doutorado em direito por lá…..essas coisas (quem sabe me preparo para voltar no futuro e morar lá por uns 2 anos).
    Além disto, outra dúvida é com relação ao idioma em si. Eu sei inglês. Ajuda? Ou tem o mesmo efeito que saber português, ou seja, não vai servir pra nada?!
    Você tem um guia, algum material escrito para fornecer para os interessados no seu blog? Se tiver, me envia, por favor!

  12. nathalia permalink
    março 12, 2013 22:10

    Oi! Adorei muito seu post. Estou planejando ir pra Berlin estudar alemão, e to nessa pegada de ver as coisas por mim mesma e não numa agencia de intercâmbio. Fiquei com uma dúvida, você ficou mais de três meses lá, teve que tirar o visto de estudante?
    Obrigada!

  13. março 13, 2013 17:03

    Oi Nathalia! Eu fiquei exatamente 3 meses, não precisei de visto de estudante não 🙂

Trackbacks

  1. Berlim | Teufelsberg, a Montanha do Diabo « boutiquein.
  2. Teufelsberg, a Montanha do Diabo | Debora Franco Machado's Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: